26-04 2015

O amor é capaz de coisas incríveis

por Cris Lavratti

Crônica publicada em setembro/2013

O amor é capaz de fazer coisas incríveis. É capaz de transformar uma vida, de trazer paz e alegria. O amor é capaz de suavizar as palavras, de tocar a alma, de deixar as lágrimas rolarem. O amor é capaz de amenizar a dor, de mudar o rumo, de nos fazer flutuar numa manhã fria de setembro. O amor é um mar de possibilidades em nossa frente, um horizonte inteirinho de sabores ímpares, um rio de doçura, uma cachoeira intempestiva. O amor é o encontro da água gelada e da água morna, ele equilibra, habita em cada célula e não admite o distanciamento dos corações. Ele une e purifica.

Nós muitas vezes estragamos o amor, talvez por não saber sentir, por não entender toda a sua grandeza, vamos nos afastando dele, com atitudes e gestos agressivos, com palavras ditas de forma errada, com os ouvidos fechados onde o entendimento do que o outro diz é somente obra da nossa vaidade, do nosso ego. O egoísmo não combina com o amor, eles são forças contrárias. O amor reparte e compartilha, não existe divisão.

O lado bom de tudo isso, é que se ele pulsa dentro da gente, nada mais importa. Ele tem o poder infinito de transformar. Só ele consegue fazer com que mergulhemos em nós mesmos, no nosso mundo, para nele, buscar o entendimento de tudo aquilo que pesa. É dentro da gente que as respostas volitam, como bálsamos, como uma coragem que nos impulsiona. Elas são o nosso desprendimento e a nossa liberdade.

Então, eu pergunto, por que insistimos em buscar lá fora o que com certeza está dentro da gente? Por que insistimos em não ouvir o nosso coração, a pureza da nossa alma? Por que nos deixamos contaminar por todos esses sentimentos que nos fazem adoecer? Por que não deixamos que a vida siga o fluxo positivo e nos contagie por completo? Por que lutar, se podemos nos adaptar de forma natural ao que nos faz bem, sem amarras, sem âncoras?

Nossos erros e acertos estão com a gente. Somente nós somos capazes de alcançar a compreensão das coisas da vida, durante o silêncio dos dias, quando de fato, conseguimos ouvir as nossas próprias respostas. Busque as suas, que eu também estou buscando as minhas. Questionar é preciso, mas a vitória do amor, mais cedo ou mais tarde é inevitável, não adianta lutar contra e sim, deixar que ele tome conta em cada gesto.

Afinal, por que nos magoamos tanto? Por que magoamos o outro? Não precisamos disso. O mundo já está tão cheio de atitudes negativas, guerras, batalhas, corrupção. Não vale a pena embarcar nesse trem. O que vale mesmo é buscar o caminho inverso, que é o caminho certo, o caminho da felicidade, o caminho das mãos dadas, o caminho do amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *