26-04 2015

Quais são teus parâmetros?

por Cris Lavratti

Crônica publicada em agosto/2013

Que parâmetros são esses que me impõe? Não estou aqui para isso. Quero ir além das prévias da sociedade. Quero ultrapassar fronteiras, conhecer novos hábitos, outras vidas, outras culturas, outros parâmetros. Quero me deleitar com o amor, quero sentir aquele outro amor, aquele que dizem por aí ser o maior do mundo.

Quero mais! Não por insatisfação ou coisa do gênero, mas quero mais simplesmente para poder ter em mim um tanto de tudo que faz parte do mundo. Minha mente aguenta, meu coração também. Eu sei que aguenta. Quatro paredes não me seguram, quero os quatro cantos do mundo.

Meus pensamentos me levam longe, minha imaginação voa alto, paira, voa e pousa de novo em mim. Meus dedos digitam estas linhas numa velocidade tão grande, uma velocidade que só não é maior que a do meu pensamento. Pensamento é coisa séria, percorre o mundo em tempo recorde, é mais rápido que a velocidade da luz.

Mas espera um pouco! Se o meu pensamento é capaz de viajar na velocidade da luz, então eu sou capaz de muito mais também. Não posso me limitar. Meus limites é que não tem fronteiras. Minha alma quer voar, viajar, observar e absorver.

Então é isso! Será que esta é a razão para eu estar buscando novos horizontes? Meu pensamento sabe, ele já foi tão longe, esta na hora de eu e minhas pernas sairmos do lugar comum. Não do lugar simples, porque a simplicidade está em mim e é ela que me mostra e desvenda toda a verdade e beleza dos pequenos gestos. Mas o lugar comum é banalizado demais. Quero o lugar do todo, o lugar do princípio, do meio, da vida, o lugar onde pulsa os corações, onde as consciências se unem por um único ideal. O ideal da clareza, do amor e da paz de espírito.

Essa sim, quero levar comigo para todo o lugar, a real paz de espírito. A serenidade! Com ela sendo parte de mim e eu sendo ela, nada é capaz de me travar, de me tirar do prumo, de me fazer perder a fé, nada! E é com ela que eu vou percorrer o mundo, aquele que habita em mim e aquele que habita no outro. Só com ela terei a coragem de entrar no tempo, de ir em outros tempos, outros templos, outras certezas e até outras dúvidas, mas sem vacilar.

Vou… Em busca da eternidade e levar na bagagem tudo aquilo que couber no meu coração e nas minhas lembranças. Levar na bagagem todo o amor, toda a fé e toda a certeza de que eu não estou sozinha, nunca. Estou sempre bem acompanhada por aquele que fez deste planeta, um dos mais lindos de todos, Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *