15-04 2019

2019, um ano para lavar a alma

por Cris Lavratti

Este ano começou intenso. Estamos em abril e tantas águas rolaram. Acontecimentos que transformaram minha vida e trouxeram novo significado aos meus dias. Acredito que as mudanças são parte essencial da jornada. Porque ao longo do percurso, vivemos, aprendemos, amadurecemos, caímos, levantamos, nos doamos, levamos algumas rasteiras, não somos compreendidos, não somos aceitos ou somos totalmente bem recebidos e aceitos do jeitinho que somos.

Separações são doloridas, nos fazem perder o chão, pois estávamos imersos em relações que achávamos reais, mas eram ilusórias. E nada como o tempo para trazer a tona a verdade de cada um, inclusive a nossa.
Quem me conhece sabe o quanto sou profunda, abraço o outro que está remando sozinho e tento ajudar a chegar a superfície. Só que neste entremeio, o que conhecemos é particular e não integral. Nessas remadas, instigados pela salvação, acabamos não olhando com cuidado para o todo e quando percebemos, estamos remando sozinhos e quase sem fôlego, vamos perdendo as forças. O outro deixou de ser remo para ser âncora e esquecendo que pediu nossa ajuda, tenta nos puxar para o fundo.
E não é culpa dele, essa é a natureza dele. As expectativas foram criadas só por mim. E essa é a minha natureza. E o aprendizado vem daí. Olhar com carinho para os bons momentos, afinal pessoas não são descartáveis e, por outro lado, preservar nossa saúde mental e nossa alma em paz.
Quando me dei conta e rompi com as amarras, a liberdade veio à tona dentro do meu coração. Mas não a liberdade de ser quem sou, pois ser quem sou causou tudo isso. Mantive minha essência, fui firme, confesso aqui que quase me perdi, mas minha fé foi maior, o amor foi maior, a família foi maior. Nesse momento entendi o verdadeiro significado de família, da minha família, como meu marido sempre me diz. E ele está certo!
Gratidão é a palavra para descrever 2019.
Pessoas reais, que vivem vidas reais, que vivem suas vidas, que estão ocupadas em viver suas vidas e que não tem tempo para viver a vida dos outros são aquelas que desejo estarem ao meu lado nessa caminhada.
Que nesta semana santa que inicia, possamos renascer no amor, na verdade, na vida, na humildade. Que possamos ser essa verdade. Que possamos praticar bons hábitos, agradecer, nos conectar, ter empatia e amar. Que possamos nos conhecer cada dia mais para não tropeçar nos mesmos erros.
Que eu não perca minha profundidade de encarar a vida, que eu ame, estenda a mão, o ombro e abra meu coração, mas que eu tenha discernimento e clareza em todos os momentos para ouvir a intuição que me guia e segui-la da forma mais sensata possível.
Ubuntu! Para lavar a alma, agradecer e ter compaixão, misericórdia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *