A vida de solteiro

Crônica publicada em outubro/2011

É uma maravilha! Eu não considero ruim… Acho que tudo tem hora certa para acontecer. Às vezes é bom estar solteiro, mas muito melhor é estar bem acompanhado. A maioria das pessoas que eu conheço e que estão há um certo tempo sós tem muita vontade de encontrar alguém especial, e vice-versa.

Na minha vida tive fases. Fases de ficar só durante um bom tempo e fases de namoros longos. Posso dizer que tirei proveito de todas. Já cansei de ficar só e já quis me livrar de pessoas que não me faziam bem. Vivi alguns amores que me fizeram plena e me ensinaram a ação do verbo amar. Já convivi com alguns que não valiam a pena. Muitas vezes erramos tentando acertar. E nesses casos, somente virei as costas e fui embora. A vida ensina que não adianta forçar a barra, se a matéria-prima é precária.

Nas épocas de solteira, fortaleci muitos laços de amizade e aprendi que grandes amigos permanecem ao nosso lado em todos os momentos. E também que não devemos virar as costas para quem sempre esteve por perto, sem nenhum interesse, somente com a verdade e a cumplicidade. Devemos saber dosar as relações e entrelaçar nossos convívios.

Por outro lado, muitos daqueles amigos de “festa” que estavam próximos nas horas de curtir acabaram se revelando grandes trapaceiros. Canso de ouvir histórias desse tipo e eu mesma já passei por isso. No início é aquela força para que tudo role bem com o novo “gato” do pedaço, depois acabam mostrando as garras e começam a urubuzar a relação: chamam para cair na noite, querem apresentar outras pessoas e por aí vai. Para aqueles que não têm certeza de nada, complica, e não levar adiante algo que poderia ser muito bom é inevitável.

Mas em compensação, para aqueles que sabem o que querem, nada nem ninguém é capaz de interferir e separar. Basta a coragem da certeza para deixar que o coração guie e que a razão aceite. Abrir os braços e se entregar ao amor pode ser a melhor decisão de uma vida inteira, e só saberemos tentando. Eu sempre vou tentar, sempre vou me entregar, porque eu sempre vou acreditar no poder do amor e nas transformações que ele é capaz de movimentar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *