Amor, por favor!

Crônica publicada no livro Santa Sede – Crônicas de Botequim safra/2012

Adoro dizer que a vida é espelho, reflexo, consequências. Nos conhecemos e reconhecemos a partir daquilo que atraímos nos mais diversos momentos. A complexidade de uma vida está na origem, no ponto de partida – de onde viemos? Para onde vamos? Grandes são os mistérios. Durante, quando conseguimos fazer essa conexão, é a simplicidade que entra em cena.

Milhões de acontecimentos movem o mundo diariamente. Um turbilhão de coisas negativas e positivas. Amor, paixão e ódio, com algumas pitadas de crueldade. Jogos de poder, famílias desfeitas, pais e filhos irresponsáveis.

Paira no ar uma sensação de falta. Falta tudo, só não o que nos atrofia, diminui ou perturba. Parece que os valores se perderam na poeira. Agora, o que conta é o valor material. E quanto vale uma pessoa, em cifras monetárias? Basicamente, na era do consumo, o caráter fica de fora desse balanço, quase uma abstração. O real valor é o real da conta bancária.

Para o mundo que eu quero descer!

Observando o rumo que tudo foi seguindo, nos damos conta de que também nos perdemos nesta poeira. Acabamos aceitando algumas atitudes por achar que é só isso que podemos ter, e que a vida não pode ser colorida.

Porém, o reconfortante é perceber que o outro lado, ainda que sufocado pela ganância, existe. Aquele do comprometimento e da renovação. Pessoas de bem, que espalham o amor por toda a parte. Plantam a caridade e colhem sorrisos sinceros. Essa vida pura, simples, cordial, aparece em átimos de boas maneiras.

Falar a verdade, estender a mão, acolher. Apontar novas direções (e não os defeitos alheios), orientar e conduzir são características que deveriam vir na bula de cada um de nós e sem contraindicação.

Parece que a sociedade adoeceu. Para combater essa epidemia, a educação é o melhor remédio. E ela pode começar pequeninha, com atitudes simples: um muito obrigado aqui, um por favor ali e um sorriso sempre. Afinal, os verdadeiros valores estão a salvo para quem carrega o amor no coração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *