Milão, obrigada!

Crônica publicada em fevereiro/2014

Acabo de assistir a um vídeo lindo, de uma amiga distante, mas não de longe, em homenagem a mãe dela, que hoje estaria completando 60 anos. Estou aqui emocionada e decidi escrever para tentar colocar em palavras meu sentimento.

Camila Macedo, olhando as imagens, ouvindo a música Roxane,  do The Police, que eu amo, na voz da Angela Jobim, tua mãe, não tive como não pensar na vida e em como tudo isso aqui é breve. A vida passa rápido demais, o que é o tempo afinal? A eternidade das memórias, talvez! Não tenho as respostas, mas tenho uma certeza, devemos aproveitar cada minuto possível ao lado de quem amamos de verdade.

Meu pai faleceu quando eu tinha apenas sete anos, minha mãe, linda, guerreira, forte, me ensinou o que uma filha precisa saber para ser feliz: amar a vida, ser verdadeira consigo mesma, determinada e sempre ter fé, acreditar no tempo e nas pessoas, mesmo que algumas nos enganem ou que nós nos enganemos com elas, não importa, quando somos fiéis ao nosso sentimento, ao nosso coração, a nossa consciência, iremos sempre ter paz.

Milão, vendo as fotografias, as viagens, o carinho, me dei conta que preciso aproveitar mais a minha mãe, que ainda está aqui. Curtir cada momento em que estamos juntas, não desmerecer o tal do tempo, afinal ele é nosso melhor amigo. Até parar de reclamar, às vezes fazemos isso por habito ou outra bobagem qualquer. Simplesmente aproveitar a companhia dela.

Quero te agradecer, do fundo do meu coração e te dizer, que a vida não acaba nunca. Ela continua, se renova, passa, mas não escapa. Quem ama está sempre junto, não importa o tempo ou a distância. Quem ama, minha querida, leva o outro no coração.

Um beijo enorme, com muito carinho, da tua parceira de aniversário, libriana!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *