Brisa, eu te amo

Crônica publicada em abril/2013 Chega de mansinho, beija meu rosto, mexe nos meus cabelos e segue seu rumo. Depois vem de novo, torna a beijar-me e continua na estrada deixando um rastro no esvoaçar dos meus cabelos.