liberdade

O meu amor

Crônica publicada no portal Negócio Feminino O meu amor é copo cheio, é correnteza, é cachoeira, é movimento sem fim, que vai e torna para mim. O meu amor me embriaga com um olhar, faz meu coração acelerar, minha boca secar, minha pele suar.

Não dê asas aos melindres

Ah, os melindres. Como esse tipo de sentimento consegue ter a capacidade de implodir amizades, fazendo desabar as pontes que antes eram motivo de convívio? Como pode esse sentimento ter a habilidade de criar muros cada vez mais altos, de distorcer a realidade, trazendo à tona uma ilusão doente?

Sacrifício é destituir o direito a liberdade

Após séculos de dor, sofrimento e angustia de um povo que foi arrancado de seus lares, de suas famílias, de sua terra. Após a imposição de um trabalho escravo, de uma nova religião, de uma vida sem futuro. Após a não liberdade deliberada e as tamanhas mazelas. Em pleno século XXI, ainda existem pessoas que …

Sacrifício é destituir o direito a liberdade Leia mais »

O tempo, o vento, a coragem e os valores

Crônica publicada em outubro/2013 “… o tempo passa, mas a terra permanece…” O filme originado a partir da obra clássica do nosso querido Érico Veríssimo e lançado no Rio Grande do Sul, dia 20 de setembro, data da Revolução Farroupilha, com estreia nacional na última sexta-feira, trouxe na bagagem o verdadeiro significado do Tempo e …

O tempo, o vento, a coragem e os valores Leia mais »

Quais são teus parâmetros?

Crônica publicada em agosto/2013 Que parâmetros são esses que me impõe? Não estou aqui para isso. Quero ir além das prévias da sociedade. Quero ultrapassar fronteiras, conhecer novos hábitos, outras vidas, outras culturas, outros parâmetros. Quero me deleitar com o amor, quero sentir aquele outro amor, aquele que dizem por aí ser o maior do …

Quais são teus parâmetros? Leia mais »