Momentos

26-04 2015

Labirinto em mim

por Cris Lavratti

Crônica publicada em julho/2014

Um vazio sem igual tomou conta de mim. Estou pairando entre um espaço de tempo e outro, sem achar o meu lugar. Me pergunto, qual o valor do tempo afinal, e abro o livro de Mitch Albom, O Guardião do Tempo, nele, percebo que o personagem fictício Dhor, que criou o tempo, que começou a contar os dias, as horas, os meses e os anos, estava tão aficcionado por aquilo que acabou deixando de viver tantos momentos felizes, momentos de se perder em um abraço, momentos de se perder em sorrisos e até em lágrimas, que quando se deu conta de sua imortalidade, acabou sozinho ouvindo os lamentos de toda a humanidade, que perdida neste mesmo espaço que me encontro, pedia mais tempo, pedia para o tempo correr, ou para que andasse devagar, pedia estarrecida pelo tempo que não ia chegar e pelo tempo que já passou e esquecia o tempo que está acontecendo agora, neste momento.

Continue Lendo >>

26-04 2015

Somar e dividir

por Cris Lavratti

Crônica publicada em abril/2014

A vida é feita de tantos momentos, de uma soma infinita de segundos, minutos, horas e dias. Cada pequeno espaço de tempo tem um valor imensurável na conta final. Uns mais, outros menos, porém todos valem alguma coisa. Uns podem dividir, outros multiplicar, não tem problema, o que importa verdadeiramente é quem nos tornamos.

Por isso pense bem. Reflita. O que você quer deixar para o mundo? Qual o legado? Imaterial, para deixar claro. Não me refiro aos bens que você conseguiu juntar ao longo da vida. Até porque, eles não vão com você para onde você for. Eles só fazem parte deste mundo aqui e nada mais.

Uma boa forma de saber como você leva a vida é perguntar para os seus amigos, como você é? Se eles responderem: – Nossa, o fulano é dono da empresa “X”, tem o carro do ano, mora no último lançamento do bairro da moda, viaja duas vezes por ano para a Europa… Ufa! Pode acreditar que tem alguma coisa errada. Isto tudo não é o quem você é e sim, o que você tem. Pense bem, ou está na hora de repensar a sua vida ou com quem você está andando.

Claro, esta lista também é importante, não quero ser hipócrita, precisamos ter condições para sobreviver ou viver neste mundão, precisamos pagar as contas, comer, ter um teto. Mas tudo isso fica. E é essa máxima que devemos levar ao longo dos nossos dias, quando a vida nos brindar com situações que exijam desprendimento.

Não sabemos o dia de amanhã, por isso é tão bom, ajudar hoje. Chico Xavier uma vez disse, que todo o bem que fazemos é nosso advogado pela eternidade. E o que conta aqui é a intenção. Fazer o bem sem olhar a quem é o que vai valer na conta final. Compartilhar atitudes positivas multiplica o saldo, já nessa vida.

Não é preciso ser bom em matemática para entender e se dar bem, é preciso apenas, ser bom. Essa é a lei, ação e reação, simples e pura, lei da física, lei da natureza, lei do Criador. Criaturas que somos, que assim “sejamos” para a eternidade, já que o “tenhamos” é fugaz e passageiro.